Mais Sobre Nós

Por que existimos

Muitas tentativas têm sido feitas para reprimir o uso e o tráfico de drogas, porém sem resultados satisfatórios.

Assim, elas continuam destruindo as vidas de milhares de jovens, separando pais e filhos e desagregando famílias.


Reinaldo Pagani – Presidente
Elena R. Pagani – Diretora

Sabendo que algo deveria ser feito no sentido de recuperar os jovens que estão presos no vício, torná-los capazes de levar uma vida sadia, de agir, de pensar e de viver sem precisar recorrer a nenhum tipo de droga.  Não basta prendê-los. Muitos dependentes, depois de passar um período na prisão, saem piores, revoltados contra tudo e todos, pois sabemos das graves deficiências do sistema carcerário na recuperação dos presos.

Em 1976, foi promulgada a lei 6.368, que faculta aos dependentes de drogas o direito de ser tratados em casas especializadas. Todavia, seja no âmbito estadual, municipal ou federal, não há casas suficientes para atender a todos, e o tratamento em clínicas particulares tem um custo demasiadamente alto, dificultando o acesso das classes menos favorecidas. É nesse ponto que entra o nosso trabalho: recuperar  os dependentes de drogas que também passam por problemas de ordem moral e espiritual, independente de sua situação financeira.


Recuperação

A recuperação se dá através de abrigo, alimentação, orientação espiritual, familiar e profissional, preparando a jovem para sua reintegração na sociedade.


Uma Casa De Recuperação, Para Quê?

    Por todos estes anos de trabalho com jovens drogados, tenho convivido com eles bem de perto, num período de nove meses e através de aconselhamento existente no processo de recuperação, pude observar uma notável carga de carência afetiva que trazem como bagagem, originada, na maioria das vezes, pela falta de comunhão, de diálogo, de atenção dos pais.
    Nunca um talão de cheque assinados, escolas caras, um quarto altamente equipado com aqueles aparelhos de som “da pesada”, até mesmo o carro do ano, poderão ser comparados com a atenção e o diálogo necessários que os pais devem e precisam dar e manter com seus filhos. Sentarem-se com eles, ouvir suas opiniões, discutindo os prós e os contras dos mais diversos assuntos, passear juntos, enfim, buscar sempre um relacionamento amigável entre pais e filhos é uma forte arma para ajudá-los a permanecerem no caminho certo.
    O adolescente é muito carente, pois nesta fase de sua vida começa a descobrir o mundo, a notar mudanças nele mesmo e também passam a ver e sentir as dificuldades da vida com mais profundidade, nascendo daí os questionamentos daquilo que lhe é mais próximo: os problemas familiares. é nesta fase, que nós, os pais, infelizmente, não abrimos espaço para ouvi-los, facilitando, assim, o caminho para os traficantes, para tudo aquilo que aparentemente os liberta de seus medos, angustias e frustrações. sob o domínio de maus elementos, até mesmo crianças de oito anos de idade já são viciadas em drogas, um dos grandes males de nossa sociedade, que já atingem todas as faixas etárias e camadas sociais. São raras as exceções em que não têm, como fuga,  as drogas, por causa de problemas familiares.
    A falta de estrutura familiar, impede os pais de governarem bem a sua própria casa. pode acreditar, 80% dos jovens viciados que passaram por mim, no Ministério de Recuperação de Vidas, até hoje, têm como pivô de suas desventuras a desestruturação das famílias:
  – separação dos pais;
  – rejeição por madrastas  e padrastos em relação aos jovens e vice-versa;
  – autoritarismo dos padrastos;
  – diminuição da atenção para os filhos, pelas mães, ao voltarem-se estas atenções ao novo companheiro.
    O que fazer? É a questão dos pais quando chegam a descobrir o envolvimento de seus filhos com as drogas. como sempre, os pais são:
  – últimos a saberem;
  – fingem que não sabem;
  – ou não querem enfrentar o problema…
    Até que cedo ou tarde precisam buscar solução e deparam-se com uma Casa de Recuperação. Mas para que uma Casa de Recuperação? Para que tenham oportunidade de recomeçar tudo de novo.
    Nós, Missão Ebenézer, existimos e oferecemos nove meses de oportunidade para  que a jovem perdida nas drogas, reencontre consigo mesma e com Deus. Elas não podem voltar ao ventre materno e começar tudo de novo, mas podem entrar em nossa Casa e durante o período de nove meses (como se estivessem no útero espiritual), poderão ter um encontro com Deus e nascerão de novo para uma vida com Deus e prontas a reintegrarem-se na sociedade.
    Recuperar vidas, então, é nosso trabalho e contamos com você. seja também mais um entre os colaboradores desta Missão que Deus nos deu.
    No amor do Senhor

    Pr. Reinaldo Pagani – Presidente

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *